Entenda como a estiagem prejudicou a produção agrícola e pecuária em Dom Pedrito

Entenda como a estiagem prejudicou a produção agrícola e pecuária em Dom Pedrito


Publicado em: 16/03/2018 13:00

Whatsapp

 

No início desta semana a Comissão Municipal da Defesa Civil reuniu-se no Salão Nobre da Prefeitura de Dom Pedrito juntamente com entidades e produtores rurais para tratar sobre a possibilidade de o município decretar situação de emergência em virtude da estiagem.

No mesmo dia, o Prefeito Mário Augusto, Vice-Prefeito,Alberto Rodrigues, acompanhado do Secretário municipal de Agricultura, Pecuária e Irrigação, Antonio Carlos Vicente e Silva estiveram em Porto Alegre realizando reuniões nas secretarias de agricultura e secretaria de obras do Estado, para solicitar serviços de perfuração de poços artesianos. No Incra, o grupo representando o poder executivo municipal tratou sobre regularização fundiária das áreas rurais e assentamentos.

Em Dom Pedrito, a reunião da Defesa Civil trouxe a apresentação do laudo técnico elaborado pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), com base nos diagnósticos produzidos pelas entidades. O documento evidencia uma realidade já conhecida no município, a estiagem. “O município encontra-se sob o efeito de estiagem que atinge também as demais cidades da Região da Campanha Meridional, conseqüência do fenômeno climático La Ninã”, Walney Lucas Moreira, diretor da Emater, explicou também que esta situação vem persistindo desde o dia 28 de outubro de 2017 quando ocorreu a última precipitação significativa de maneira uniforme em todo o território do nosso município.

Considerando o Mapa de Anotações Pluviométricas de Escritório Municipal da Emater- RS/Ascar, nosso clima passou de um regime pluviométrico nos últimos doze meses de 2.212mm, para um contexto nos último quatro meses de um déficit hídrico de 271mm. Somando a média dos meses de novembro, dezembro, janeiro e fevereiro, nos últimos 40 anos obtemos 490mm, subtraindo o acumulado em nossa estiagem (219mm), contabilizamos este déficit de 271mm.

A estimativa de perdas na agricultura e na produção pecuária chega a um total de R$ 142.693.507,75. Dentro das principais atividades agropecuárias consolidada em nossa matriz produtiva o arroz também sofre pelos danos. 
Com uma estimativa de 10 % de perda no arroz, o valor assusta os produtores. São R$ 27.398.910,00, no cálculo de uma área de 44.990km, com uma produção estimada de 7.828.260 sacos, custando R$ 35,00 cada saco, com a receita estimada em 273.989.100,00, totalizando assim a perda de 782.826 sacos de arroz.

E o mesmo se repete com a soja com uma perda de R$ 104.512.000. A lavoura de soja em Dom Pedrito cresce significativamente no último ano, devido à valorização e o clima favorável, chegando a 80.000 hectares. Em época de semeadura – 01 de novembro a 10 de dezembro - que resulta nas maiores médias de produtividades mais de 60% das lavouras foram plantadas, sendo significativamente afetadas pela falta de chuva. Também é importante ressaltar que, em torno de 750 hectares de lavouras de soja do município foram replantadas devido os efeitos da estiagem.

O Milho e o Sorgo representam uma área de aproximadamente 2.100 hectares no município. Considerando os efeitos de estiagem citados acima nas lavouras, estima-se a perda para ambos em 20% até o momento (R$ 558.030,00). 
A Bovinocultura do leite é produzida em aproximadamente 54 famílias do município, que fazem a produção e realizam a entrega para a indústria, direto ao consumidor ou agroindustrializando o produto leite. Devido aos efeitos da estiagem o prejuízo chega a R$ 288.000,00.

A Bovinocultura de Corte, em Dom Pedrito possui um rebanho de 415.725 cabeças, e também sofre com a estiagem. Somando todas as perdas é possível afirmar que 35% dos desfrutes estão comprometidos, aliado a um longo período de recuperação do rebanho. Uma perda de R$ 6.547.668,75. 
Na apicultura o prejuízo chega a 55% (R$ 2.277.000,00), o excesso de chuva durante a primavera do último ano prejudicou a produção de mel, no verão a situação se inverteu e a falta de chuva também prejudicou as floras de produção.

Os produtos de abastecimento que estão contratados para fornecer ao PNAE enfrentam dificuldade na produção de Olerícolas, as perdas na produção de folhas, legumes e raízes chega a 40 %.

O laudo que relata a situação em Dom Pedrito, será entregue ao Prefeito no dia 27 de março, com a presença do coordenador da Defesa Civil da Região, Major Castro e o subcoordenador, Sargento Adão, em uma reunião juntamente com os representantes do município o preenchimento do formulário que irá encaminhar o pedido de Decreto de Urgência.


Leia também

Secretaria de Obras, Viação e Serviços Públicos

SECRETARIA DE OBRAS PROSSEGUE AGENDA DE SERVIÇOS

26/05/2020 12:48

Departamento de Meio Ambiente

RECOLHIMENTO E-LIXO ACONTECE DIA 7 DE JULHO

26/05/2020 11:20

Departamento de Esporte e Lazer

DIA DO DESAFIO 2020 TAMBÉM SERÁ SOLIDÁRIO

24/05/2020 20:28