PROJETO IMUNIZAÇÃO PARA SEMPRE É LANÇADO EM DOM PEDRITO

PROJETO IMUNIZAÇÃO PARA SEMPRE É LANÇADO EM DOM PEDRITO


Publicado em: 02/04/2020 16:42 | Fonte/Agência: Departamento de Comunicação

Whatsapp

 

De autoria dos médicos pedritenses Rogério Riet Vargas Tomasi e Silvana Salbego Piemolini Mozzaquatro, o Projeto Imunização Para Sempre foi criado no último final de semana com o objetivo de fazer um enfrentamento à pandemia de Covid-19, através do fortalecimento da imunidade de cada indivíduo.

Assim que levado ao conhecimento do prefeito Mário Augusto, prontamente foi aceito e será desenvolvido pela rede de atenção básica do Município. Estão sendo realizadas reuniões para organizar a sistemática de atuação.

“Quem mais sofre com os efeitos do vírus são os idosos e os portadores de co-morbidades. Na idade das pessoas não podemos mexer, mas podemos melhorar o controle da diabetes, da hipertensão e outras, bem como, fortalecer a imunidade da população como um todo. Com o organismo mais forte o nosso sistema imunológico consegue combater o vírus de maneira mais eficaz”, enfatizou Tomasi.

Objetivos do Projeto Imunização Para Sempre:

- Empoderar o público com um conjunto de informações, embasadas cientificamente, sobre adoção de melhorias nos cuidados básicos de saúde, como forma de aumentar a imunidade e preservar a saúde e a vida;

- Utilizar-se da ameaça de uma crise epidêmica, como agente fomentador para uma mudança nos hábitos de uma população, com adoção perene de ações que levem à melhoria dos indicadores gerais da saúde de uma população.

As estratégias para combate da pandemia de Coronavírus estão sendo montadas pelos médicos junto à Secretaria de Saúde.

Os profissionais deixam claro que o contato com o vírus será inevitável em algum momento, o que busca com a quarentena é que o contágio não seja ao mesmo tempo para evitar o colapso no sistema de saúde, que já é bastante limitado.

“Já que o contágio é inevitável, precisamos fortalecer o nosso organismo e o sistema imunológico, para quando haja a infecção não seja avassaladora ao organismo e dessa forma não seja necessária a utilização de leitos de UTI”, enfatiza Tomasi.

Conforme ele, a necessidade de distanciamento social continua, bem como, o isolamento dos infectados sintomáticos e seus contatos diretos e, claro, a internação dos casos graves.

Pandemia de coronavírus dividida em três grupos:

1° - Assintomáticos (aproximadamente 80% da população);

2° - Infectados sintomáticos (aproximadamente 19% da população);

3° - Óbitos (aproximadamente 1% da população).

Com a adoção do Projeto Imunização para Sempre, estima-se a mudança dos números acima descritos para:

1° - Assintomáticos (aproximadamente 90% da população);

2° - Infectados sintomáticos (aproximadamente 9,5% da população);

3° - Óbitos (aproximadamente 0,5% da população). A maioria dos infectados sintomáticos graves (que necessitam de internação) e dos óbitos encontra-se no grupo de risco, que são pessoas de mais de 60 anos e com co-morbidades (diabetes, hipertensão, asma, problemas pulmonares, cardiopatias, fumantes, imunodeprimidos, depressão e outras).

“O projeto baseia-se na medicina preventiva, através de forte impulsionamento do atendimento primário à saúde da população, impactando na melhoria da imunidade do organismo hospedeiro (ser humano) para que possa sobrepor-se, naturalmente, ao caráter patogênico do organismo invasor (vírus), possibilitando aumentar o grupo dos assintomáticos e diminuir o grupo de infectados graves e óbitos. Desta forma, automaticamente, haverá uma drástica baixa na demanda na atenção secundária e terciária da saúde da população, justamente os níveis de atendimento mais dispendiosos sob o aspecto financeiro, não só para o indivíduo, como também para os gestores públicos”, explica Tomasi.

Projeto inédito:
A quebra de paradigma, o ineditismo deste planejamento estratégico, está em estimular ao máximo a Medicina Preventiva, obviamente sem estar desatento à Medicina Curativa. Muito embora, uma vez exposto este planejamento estratégico, a obviedade do entendimento destas questões seja marcante, surpreende a ausência, até o presente momento, de qualquer manifestação nesse sentido por parte de todos os órgãos governamentais mundiais, por todos os órgãos de imprensa, assim como por todas as redes sociais.

Dois pilares do Projeto:
1°- Educação para melhorar e corrigir os hábitos de vida com boa alimentação, hidratação, bom sono e diminuição do estresse.

2° - Controle das co-morbidades através das Equipes de Saúde da Família, que passarão nos domicílios dos pacientes do grupo de risco para orientação e controle de pressão arterial, glicemia e sinais vitais. Orientação nutricional, hábitos saudáveis e diminuição do tabagismo. Possibilitando assim melhora do sistema imunológico dos indivíduos e promoção preventiva da saúde e da vida.

Tomasi enfatiza que a médio e longo prazo, haverá uma melhora significativa e permanente dos indicadores gerais da saúde da população, ou seja, melhora da saúde pós-pandemia, quando comparada com a saúde pré-pandemia.

O prefeito enaltece o projeto dos médicos pedritenses e atenta para a questão do ineditismo, “realmente é louvável a iniciativa dos profissionais. Como poder público concentraremos os nossos esforços para o desenvolvimento desse importante projeto na sua plenitude, através das nossas equipes que já realizam um importante trabalho nas suas comunidades. Levaremos a esperança, especialmente àqueles que estão no grupo de risco através da prevenção e do desenvolvimento de hábitos que levaremos como lição de vida depois que tudo isso passar”.


Leia também

Secretaria de Obras, Viação e Serviços Públicos

A ROTINA DA RECOLOCAÇÃO DAS PLACAS DE TRÂNSITO

10/07/2020 12:32