PROJETO DE DOM PEDRITO É APRESENTADO EM ENCONTRO REGIONAL

PROJETO DE DOM PEDRITO É APRESENTADO EM ENCONTRO REGIONAL


Publicado em: 21/03/2019 12:00 | Fonte/Agência: Departamento de Comunicação

Whatsapp

 

Dom Pedrito esteve presente no 3º Encontro do Projeto Tecendo as Redes das Políticas Públicas e Enfrentamento à Violência Contra a Mulher, numa realização da Coordenadoria da Mulher da Secretaria de Assistência Social, Habitação e Direitos do Idoso de Bagé.

Na ocasião, palestrou o promotor de Justiça de Dom Pedrito, Francisco Lauenstein, que explanou sobre o Projeto desenvolvido em Dom Pedrito, pioneiro na região, numa parceria entre Ministério Público, Judiciário e Prefeitura de Dom Pedrito através da Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS) e CREAS, com a psicóloga Tatiane Cappelari e a assistente social Vivian Luçardo Barros.

O promotor iniciou sua fala destacando a importância de não falar de questões, exclusivamente, penais, mas com ênfase de como enfrentar a violência doméstica.

“Infelizmente se fez uma matriz cultural em que a população aceitava com facilidade as agressões contra as mulheres. Hoje em dia, sabemos que é difícil combater, mas precisamos entender que é uma violência como outra qualquer que merece a mesma atenção e que deve ser combatida”, enfatizou Lauenstein.

As profissionais representando a STDS, Tatiane e Vivian, a convite do promotor explanaram sobre o Projeto Reflexivo de Gênero ao público presente. O projeto desenvolvido em Dom Pedrito tem o entendimento de que tratar isoladamente a mulher, não atinge de fato o objetivo de romper com o ciclo de violência. É preciso também fazer uma intervenção com o autor, para ajudar desconstruir posturas machistas. “É mais uma política pública para as mulheres em nosso município, posta em prática através de parcerias com o Ministério Público e Poder Judiciário”, destacaram as profissionais.

O Grupo Reflexivo de Gênero começou a ser desenvolvido em outubro de 2018 e tem como objetivo a responsabilização, desconstrução do machismo, equidade de gênero e prevenção da violência doméstica, mantendo reuniões quinzenais com agressores já condenados em casos de violência contra mulheres. Cada participante deve estar presente em dez encontros.

 


Leia também