Carnaval de Rua é cancelado e valor será destinado para a Educação

Carnaval de Rua é cancelado e valor será destinado para a Educação


Publicado em: 16/01/2019 09:28 | Fonte/Agência: Departamento de Comunicação

Whatsapp

 

No final da tarde de ontem, segunda-feira, dia 14, no salão nobre da Prefeitura foi realizada a segunda reunião para tratar da realização do Carnaval de Rua 2019, entre representantes da administração através dos gabinetes do Prefeito e Primeira-Dama e os departamentos de Cultura, Esporte e Lazer e Comunicação, da Brigada Militar e das agremiações carnavalescas.

Na primeira reunião havia sido acordada a realização do Carnaval de Rua fora de época. Em razão da segurança, a Brigada Militar conseguiu reforço de 30 policiais para a realização de uma noite e apoio com o efetivo local para a realização num final de tarde. O Município arcaria com o som, luz e decoração e as agremiações entrariam na avenida com recursos próprios.

Ontem, na reunião, os representantes do Executivo e da BM ficaram sabendo que os carnavalescos desistiram da realização do evento em função da falta de repasse de recursos públicos.

O prefeito Mário Augusto, mesmo contrário ao que foi decidido, lamenta a não realização do Carnaval, pois é uma festa popular que traz a comunidade para a avenida. “Em relação ao valor de R$ 5 mil que tinha ficado no Orçamento Municipal rubricado para o Carnaval, destinaremos a verba para compra de quatro condicionadores de ar split, para as escolas municipais de Educação Infantil Maria Francisca e Tupy Silva”, enfatizou o prefeito.

Na reunião, a diretora do Departamento de Cultura, Julieta Farinha, ressaltou que no ano passado, nessa mesma época, ficou combinado que durante o ano de 2018 os blocos e escolas de samba realizariam promoções para arrecadar fundos, mas a agremiações não as realizaram.

Conforme Glécio da Cruz, diretor de Esporte e Lazer, é necessário repensar o Carnaval de Rua de Dom Pedrito, pois a população está cansada do formato que era realizado.

A chefe de Gabinete, Márcia Garcia, destacou que para acessar os recursos públicos através da Lei nº 13.019/2014, é imprescindível as agremiações estarem com CNPJ regularizado, todas as certidões em dia e apresentarem um plano de trabalho, “o que não é a realidade dos blocos e escolas de samba locais”.

“Um evento não se organiza de um mês para o outro. Proponho-me, no mês de março, começarmos a montar um plano de trabalho, procurar incentivos em outras esferas e revisar a documentação junto às agremiações carnavalescas. Se quisermos voltar a fazer o Carnaval essa é a única forma”, ressaltou a diretora de Cultura.